Município de Boa Vista deve implantar órgão de Defesa do Consumidor

A pedido do Ministério Público de Roraima (MPRR), por meio da Promotoria de Defesa do Consumidor, o juiz César Henrique Alves condenou o Município de Boa Vista  a implantar o órgão municipal de proteção ao consumidor, conhecido popularmente como Procon, no prazo de 30 dias.

Segundo o promotor de Justiça de Defesa do Consumidor, Ademir Teles Menezes, “o Município de Boa Vista já tem a Lei Municipal nº 506/00, sancionada no dia 15 de março de 2000, que criou o Procon, só faltando, agora, a implantação desse órgão tão importante para sociedade roraimense”.

Em julho deste ano, a Justiça também acatou o pedido do MPRR e condenou o Estado de Roraima a criar e implantar o referido órgão.

As ações civis públicas foram ingressadas pelo  Ministério Público Estadual, por intermédio da promotoria de Defesa do Consumidor, em 2010, uma no dia 17 de junho, contra a prefeitura de Boa Vista, e outra no dia 18 de junho, contra o governo do estado de Roraima.

O Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078/90) estabelece como condição essencial para a efetiva defesa do consumidor, “a necessidade da existência de órgãos federais, estaduais, do distrito federal e municipais para fiscalizar e controlar o mercado de consumo, no interesse da preservação da vida, da saúde, da segurança, da informação e do bem-estar do consumidor”, enfatizou o promotor.

Conforme a sentença, em caso de descumprimento, o Município de Boa Vista pagará multa diária no valor de R$ 10 mil.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui no blog
Os comentários neste blog são livres, sem moderação.
Aviso, no entanto, que ofensas, palavrões ou quaisquer expressões racistas ou discriminatórias serão apagadas sumariamente.
Para quem comentar com responsabilidade, este espaço estará sempre aberto. Críticas e sugestões para o autor serão bem-vindas.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem necessariamente a opinião do autor do blog.

Tecnologia do Blogger.