Pular para o conteúdo principal

O grupo pró-Neudo desconhece o chefão que tem

A nota abaixo é um desabafo do vereador Telmário Mota. Confira:

Vou usar este espaço virtual para rebater o que vem sendo dito sobre minha pessoa, pelo grupo do pró-Neudo Campos, também conhecido como o 'pró-justiça'. E outros comentários falsos que circulam na internet e veículos de comunicação a meu respeito.


Na última terça-feira (22), estive no TRE-RR acompanhando o julgamento do processo do governador José de Anchieta.


Na ocasião, estava presente o grupo pró- Neudo Campos, uniformizados de camisa preta, como quem vai para a guerra e esperando ansioso algum resultado que o fizesse bater palmas. Este mesmo grupo, que pede por Justiça, vaiou o juiz Paulo César de Menezes, quando pediu vista do processo.


Como se não bastasse, os 'xiitas' de Neudo me vaiaram quando eu saí do TRE-RR. Mercenário, traidor, vendido e outros adjetivos foram-me atribuídos.


Não sou homem de levar 'recado' para casa. Disse àquele grupo que, em nenhum momento traí ou me vendi. Mas quem fez isso comigo foi o senhor Neudo Campos, que na eleição passada não me deixou subir, junto ao palco com ele.


Esse mesmo homem, que quer governar Roraima outra vez, é conhecido como o cabeça do esquema dos gafanhotos, que desviou quase R$ 200 milhões para o seu bolso e de outros políticos corruptos, segundo a Justiça Federal. E alguns, até hoje, são eleitos para cargos políticos, mas continuam respondendo a processos na Justiça.

O grupo 'pró-justiça', ou pró-Neudo, que tem como chefão Neudo Campos, e encabeçado por Simeão Peixoto e Faradilson Mesquita, quer moralizar as eleições passadas.


Simeão e Fadilson esquecem que já estiveram do outro lado. Os dois são ex-comissionados do governador Anchieta, mas que hoje, atacam-no se travestidos de 'justiceiros' de Roraima. Pouca vergonha!


Os 'justiceiros' acolhem pessoas inocentes que não sabem nem por qual motivo estão lutando. De fato,o 'pró-justiça' é um grupo sem causa aparente. Os cabeças do grupo, que auto se proclama 'pró-justiça', esperam que Neudo assuma para ganharem cargos públicos do primeiro escalão, com gordo salário.


Na realidade, o grupo pró-Neudo é um ninho de vespa, desprovido da realidade política. Realidade esta que os 'justiceiros' desconhecem. Eu, Telmário Mota, não tenho vergonha de dizer que já trabalhei com Neudo Campos. Sou muito diferente do grupo 'pró-justiça', que muda seus ideais, conforme seu interesse.


Eu ajudei o Neudo a levantar a sua carreira, depois de todo escândalo sofrido. Fiz reuniões com Neudo, junto ao prefeito Iradilson Sampaio e Getúlio Cruz para alavancar o seu nome para candidaturas posteriores. Neudo sabe disso.


Eu e Neudo quase apanhamos, quando fomos visitar um bairro da nossa Capital. Passamos por vários momentos difíceis. Até eleição passada, estive ao lado de Neudo Campos. Mas ele não reconheceu o meu valor, o nosso trabalho junto, os compromissos políticos que almejávamos para o nosso Estado. Ele me tirou do palanque.


E hoje, sou atacado pelos seus 'xiitas', do grupo pró-justiça, criado para sustentar interesses alheios.


O grupo transparece ser recalcado, despolitizado e perdido. Se alguns dos 'xiitas' me chamam de traidor e mercenário, talvez porque não conheçam a máscara que o senhor Neudo Campos usa para dar rasteira, em quem trabalha e o apoia.


Quero ressaltar que, em nenhum momento chamei, ou ofendi alguém do grupo 'pró-justiça', quando estava no TRE –RR.


Lamento muito que a repercussão do fato ocorrido no TRE-RR na última terça-feira, tenha criado vários comentários mentirosos a meu respeito. Lembro: no momento me ofenderam e eu revidei na mesma altura. E como disse não ou homem de levar 'recado' para casa.


Concluo este esclarecimento com uma frase: Minha vida política é um livro aberto, não precisa seguir as páginas. Apenas conhecer seu conteúdo.

Comentários

Popular Posts

Haja espera no tabuleiro político do Crato

Muito se prometeu. Mas, nada de impactante no cenário político municipal neste final de semana. Três siglas se reuniram e, somente o PSD, trouxe alguma novidade para este pleito. Os primeiros a se reunirem foram os comunistas que vão deixar para o final do mês a decisão se terão chapa pura, se vão se coligar com o PT ou unir-se-ão ao candidato José Ailton Brasil, do PP.

O Partido dos Trabalhadores também procrastinou a decisão de como marcharão em outubro próximo. É mais uma sigla rachada e com característica de dubieadades. Transita entre apoiar José Ailton como combinaram na reunião do Palácio da Abolição, partir com candidatura própria ao lado do PC do B ou, até mesmo, apoiar a reeleição do prefeito Ronaldo Gomes de Matos, que calado acompanha o desenrolar dos acontecimentos.

Já o Partido Social Democrata, que também participou das duas reuniões com o governador e demais partidos, esteve reunido na noite de sábado, na sede do Poder Legislativo e, de goleada, descartou o apoio à cand…

Jucá contrata empresa de amigo com verba de gabinete

As denúncias contra o senador Romero Jucá não param de surgir.

Agora veio à tona a história acerca da contratação da empresa Norte Produções Ltda, sediada aqui em Boa Vista, para a criação de vídeos de prestação de contas do gabinete de Jucá.

Criada em 2006, a Norte Produções pertence – segundo os documentos publicados pelo UOL – ao publicitário Hemetério Pires Costa Júnior, que é o ex-marido da atual mulher de Jucá, Roselene Brito (a Rose)

Segundo o Portal UOL, o senador roraimense usou R$ 199 mil de sua cota parlamentar para pagar a empresa de publicidade de Hemetério Pires, que na matéria é tratado como “um amigo que trabalhou em seu gabinete”

Hemetério, um grande profissional, diga-se de passagem, foi nomeado por meio dos chamados atos secretos, atos administrativos realizados na gestão de José Sarney (PMDB-MA), como presidente do Senado, que não eram divulgados ao público.

As informações acerca dos pagamentos estão disponíveis no Portal da Transparência do Senado. O UOL diz que…

Índios decidem pela permanência de Pacaraima

A polêmica se arrasta por mais de duas décadas e somente agora, após assembleia geral que durou três dias (15, 16 e 17 de junho) na Comunidade Boca da Mata, mais de 800 índios decidiram pela permanência do município de Pacaraima, que faz divisa com a Venezuela e está na extensão territorial da Terra Indígena São Marcos, ao norte de Roraima, reconhecida e homologada desde 1991, pelo Governo Federal.

A decisão reforça o posicionamento do Governo do Estado em manter o município na Terra Indígena, considerando os quase mil estabelecimentos comerciais, estrutura institucional (Exército, universidade, bancos, Prefeitura, Câmara de Vereadores e órgãos públicos) e os mais de 10 mil moradores, conforme dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Só este ano, a governadora Suely Campos (PP) esteve duas vezes em Brasília para dialogar com o STF (Supremo Tribunal Federal), onde tramita desde 2010 a Ação Civil Ordinária 499-2, de autoria da Funai (Fundação Nacional do Índio),…