Pular para o conteúdo principal

Chico Guerra diz que endividamento é problema do governo e não da Assembleia

O governador Chico Rodrigues (PSB) se reuniu ontem com os deputados estaduais para repassar aos parlamentares a situação de endividamento do estado e pedir ajuda para contenção de despesas. Chico Rodrigues falou da dívida de mais de R$ 700 milhões e anunciou medidas austeras para cortes e ajustes na máquina pública.

De acordo com o relato feito pelo governador, o Estado de Roraima está à beira do abismo financeiro. Aos deputados, Chico Rodrigues pediu que eles deixassem o discurso político-eleitoral de lado para ajudar o governo a enfrentar essa situação de endividamento.

A reunião de ontem foi tema do discurso do deputado Soldado Sampaio (PC do B), hoje, na tribuna da Casa. Sampaio que entende ser necessário investigar para saber a quem cabe a responsabilidade pelo endividamento do estado. Sampaio quer saber se essa dívida é fruto de má fé ou incompetência administrativa.

O parlamentar afirma que a bancada de oposição sugeriu algumas medidas de austeridade para cortar gastos. Ele diz que, se o governo quiser resolver o problema é preciso adotar medidas austeras. “A situação em que o estado se encontra é calamitosa. Essa dívida não pode ser rolada para o ano seguinte”, afirma.

A oposição sugeriu ao governo que reduza o número de prédio de terceiros alugados para abrigar repartições públicas. “Sugerimos ainda que o governo reduza as despesas com publicidade e propaganda, que são excessivas, e que também reduza os cargos comissionados e funções gratificadas que oneram a folha de pagamento, enfim, que deixe apenas aquelas necessárias ao funcionamento da máquina administrativa. O governo terá que cortar na própria carne sem penalizar a sociedade”, enumera.

O deputado Chico Guerra (PROS), presidente da Assembleia Legislativa (foto abaixo) diz que parte da dívida do estado é fruto dos empréstimos feitos ao longo dos sucessivos governo para obras como o linhão de Guri e esgotamento sanitário e tratamento de água.
Chico Guerra diz que é responsabilidade do governo encontrar meios de resolver esse abacaxi da dívida. Segundo ele, essa não é responsabilidade da Assembleia Legislativa.

“Esse problema não é nosso. É do Governo do Estado e cada um cuida da sua cozinha. Nós temos que ajudar o governo no sentido de dar apoio político e aprovar as matérias que solucionem o problema. Mas quem tem que resolver essa problema é o governo”, esquivou-se Guerra.
NOTA DO EDITOR

Por mais que Chico Rodrigues não queira responsabilizar nominalmente o seu antecessor no governo – José de Anchieta -, está mais do que claro que o governador pretende mostrar que herdou problemas administrativos sérios, com os quais ele não conseguirá lidar sozinho. Pouco a pouco, Chico vai desnudando as feridas de uma administração deslumbrada com o poder e que passou os pés pelas mãos em diversos setores. 
Eu repito o que eu disse em post anterior. Não será fácil para o governador Chico Rodrigues manter uma aliança com José de Anchieta. Como ele vai pedir votos para um candidato que deixou o estado à beira da falência? Como ele vai dizer que Anchieta fez um grande governo e, por isso, merece ser senador, se agora ele, Chico Rodrigues, está sendo obrigado a pedir a ajuda dos deputados para corrigir os erros estratosféricos cometidos pelo seu antecessor? 
Quando assumiu o governo, na primeira entrevista coletiva que concedeu à imprensa um dia depois da sua posse, no sábado, 5 de abril, Chico Rodrigues disse que faria uma auditoria nas contas do estado para saber onde estava pisando. Está aí o primeiro e assustador levantamento realizado, dando conta de uma dívida de mais de R$ 700 milhões.
Chico Rodrigues não vai conseguir esconder tudo isso debaixo do tapete. E José de Anchieta não ficará nada feliz ao ver desnudada suas traquinagens administrativas. Se quiser ser, de fato, um novo governo, Chico Rodrigues vai ter de afastar sua imagem da de Anchieta. Do contrário, será corresponsável pelos desmandos que afirma ter encontrado. Afinal, ele era vice-governador e manteve praticamente a mesma equipe formada por Anchieta há sete anos.

Comentários

Popular Posts

Haja espera no tabuleiro político do Crato

Muito se prometeu. Mas, nada de impactante no cenário político municipal neste final de semana. Três siglas se reuniram e, somente o PSD, trouxe alguma novidade para este pleito. Os primeiros a se reunirem foram os comunistas que vão deixar para o final do mês a decisão se terão chapa pura, se vão se coligar com o PT ou unir-se-ão ao candidato José Ailton Brasil, do PP.

O Partido dos Trabalhadores também procrastinou a decisão de como marcharão em outubro próximo. É mais uma sigla rachada e com característica de dubieadades. Transita entre apoiar José Ailton como combinaram na reunião do Palácio da Abolição, partir com candidatura própria ao lado do PC do B ou, até mesmo, apoiar a reeleição do prefeito Ronaldo Gomes de Matos, que calado acompanha o desenrolar dos acontecimentos.

Já o Partido Social Democrata, que também participou das duas reuniões com o governador e demais partidos, esteve reunido na noite de sábado, na sede do Poder Legislativo e, de goleada, descartou o apoio à cand…

Jucá contrata empresa de amigo com verba de gabinete

As denúncias contra o senador Romero Jucá não param de surgir.

Agora veio à tona a história acerca da contratação da empresa Norte Produções Ltda, sediada aqui em Boa Vista, para a criação de vídeos de prestação de contas do gabinete de Jucá.

Criada em 2006, a Norte Produções pertence – segundo os documentos publicados pelo UOL – ao publicitário Hemetério Pires Costa Júnior, que é o ex-marido da atual mulher de Jucá, Roselene Brito (a Rose)

Segundo o Portal UOL, o senador roraimense usou R$ 199 mil de sua cota parlamentar para pagar a empresa de publicidade de Hemetério Pires, que na matéria é tratado como “um amigo que trabalhou em seu gabinete”

Hemetério, um grande profissional, diga-se de passagem, foi nomeado por meio dos chamados atos secretos, atos administrativos realizados na gestão de José Sarney (PMDB-MA), como presidente do Senado, que não eram divulgados ao público.

As informações acerca dos pagamentos estão disponíveis no Portal da Transparência do Senado. O UOL diz que…

Índios decidem pela permanência de Pacaraima

A polêmica se arrasta por mais de duas décadas e somente agora, após assembleia geral que durou três dias (15, 16 e 17 de junho) na Comunidade Boca da Mata, mais de 800 índios decidiram pela permanência do município de Pacaraima, que faz divisa com a Venezuela e está na extensão territorial da Terra Indígena São Marcos, ao norte de Roraima, reconhecida e homologada desde 1991, pelo Governo Federal.

A decisão reforça o posicionamento do Governo do Estado em manter o município na Terra Indígena, considerando os quase mil estabelecimentos comerciais, estrutura institucional (Exército, universidade, bancos, Prefeitura, Câmara de Vereadores e órgãos públicos) e os mais de 10 mil moradores, conforme dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Só este ano, a governadora Suely Campos (PP) esteve duas vezes em Brasília para dialogar com o STF (Supremo Tribunal Federal), onde tramita desde 2010 a Ação Civil Ordinária 499-2, de autoria da Funai (Fundação Nacional do Índio),…