Carlos Levischi se envaidece por deixar Neudo inelegível

Levischi sobre o 'escândalo dos gafanhotos': “Daquela história toda, eu fiquei com a culpa e eles com o dinheiro”
Carlos Eduardo Levischi foi uma das peças-chave tanto no desenvolvimento e funcionamento do chamado “esquema dos gafanhotos” quanto no seu desbaratamento, pois ele foi um dos colaboradores da Polícia Federal ao entregar, no ano de 2003, todo o esquema de desvio de dinheiro público aqui em Roraima.

Pois bem. Desde ontem, Carlos Levischi tem estado lépido e fagueiro na Assembleia Legislativa de Roraima. Chega à Casa do Povo, senta-se na primeira fila, de frente para a presidência da mesa-diretora, e fica lá conversando com conhecidos, sempre de olho nos deputados.

Ontem, quando eu chegava à Assembleia Legislativa, Levischi já estava de saída. Mas ele me olhou meio desconfiado, depois saiu e foi embora. Eu confesso que tive dúvidas se era ele mesmo ou não. Afinal, Carlos Levischi está mais magro, abatido, envelhecido. Hoje, ao chegar à sede do Poder Legislativo, lá estava ele novamente. A presença de Levischi de forma repetida na Assembleia me chamou a atenção.

Logo, busquei uma forma de me aproximar para conversar. De pronto, perguntei a Levischi sobre o que ele fazia em Roraima. Ele me contou que veio ao estado para participar de audiências públicas ainda relacionadas com o “esquema dos gafanhotos”. Levischi, como já fez outras vezes, voltou a afirmar que o rumoroso esquema de corrupção acabou com a sua vida. “Faz um ano que estou sem conseguir trabalho”, disse-me ele. “Minha reputação ficou completamente prejudicada”, completou.

Em meio à nossa abreve conversa, Carlos Levischi comentou a situação política de Roraima. Observou que entra governo e sai governo e nada muda. Lembrou ainda das eleições passadas, quando deu um depoimento contra Neudo Campos (PP) para ajudar na campanha de Chico Rodrigues (PSDB), então candidato ao governo. Mas lamentou que de nada tenha adiantado. “Suely não ganhou a eleição. Foi Chico Rodrigues que perdeu para ele mesmo”, comentou o enigmático Levischi.

Carlos Levischi parece não se sentir culpado por sua participação no “esquema gafanhotos”. Lamenta que somente ele hoje esteja na pior. Citou a situação de Jalser, um dos envolvidos no esquema e que hoje preside a Assembleia Legislativa. “Daquela história toda, eu fiquei com a culpa e eles com o dinheiro”, comentou. O ex-diretor presidente do extinto Departamento de Estradas e Rodagens de Roraima (DERR) parece guardar uma única satisfação que deixou escapar nesta frase: “Eu fui a única pessoa capaz de deixar Neudo Campos inelegível”. Sua fala exala satisfação. Ele perece guardar mágoa por ter sido abandonado à própria sorte.



Perguntei a Carlos Levischi onde ele está morando. Ele não respondeu. Afirmou que, além de participar das audiências na justiça aqui em Roraima, estava visitando amigos. Depois vai embora. Pedi para tirar uma foto sua. Ele concordou, de pronto sem pôr nenhum obstáculo. Eu não preciso dizer, mas Calos Levischi ainda é um arquivo vivo. E ele sabe disso.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui no blog
Os comentários neste blog são livres, sem moderação.
Aviso, no entanto, que ofensas, palavrões ou quaisquer expressões racistas ou discriminatórias serão apagadas sumariamente.
Para quem comentar com responsabilidade, este espaço estará sempre aberto. Críticas e sugestões para o autor serão bem-vindas.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem necessariamente a opinião do autor do blog.

Tecnologia do Blogger.